A Força dos Taurinos

 Ao contrário dos Arianos, os Taurinos exercitam seus corpos ao invés da mente. Todo taurino traz dentro de si um conflito entre o lado bestial de sua natureza e o humano e heróico.

 
São materialistas e precisam de muita segurança, seja material ou emocional.
 
A criança taurina leva uma vida espartana. Aos 7 anos são apresentados às armas, onde lutam para sobrevirem aos chicotes de seus mestres até os 12 anos. Com essa idade, eles são levados para o Monte da Provação, um lugar alto, sem luz e precisam aprender a caçarem o alimento. Além da sobrevivência, devem enfrentar o próprio lado selvagem, um Doppelstier, espíritos em forma de Touro. Os antigos dizem que é o lado demoníaco de cada ser humano, que deve ser vencido, provando que todo homem pode superar o mal. O Doppelstier deve ser derrotado ou o fim é a morte. Permanecem nessa vida bestial até os 15 anos, onde, se retornarem, receberão a glória de servir algum reino importante aos 16. Carregam armas e armaduras muito pesadas. São os mais próximos dos anões e devido a isso cultivam uma aparência rústica como a dos amigos e se vestem como tal, as armas mais belas do planeta são vistas em suas mãos: “A beleza e o poder da arma é um espelho que reflete a beleza de um Taurino”.
 
O treinamento de uma Taurina é diferente. Enquanto os homens prezam a força, elas são adeptas da agilidade e leveza. Enquanto um homem empunha uma espada de duas mãos ou enormes machados, elas escolhem adagas que vão presas em cada lado da cintura ou coxas. Quando uma Taurina além da habilidade de combate, nasce com feições belas, são treinadas também para serem assassinas, onde aprendem além do ofício de batalha, o de dança.
 
Junto com os Librianos e Escorpianos, formam a grande maioria das fileiras dos exércitos humanos.
 
A cidade dos taurinos é tão rústica quanto à aparência dos mesmos. As casas são ainda feitas de madeira, e devido à falta de encanamento, são vistas poças de lama e alguns lixos jogados pelo lugar. Mas isso não parece afetar seus moradores, pois quase nunca estão na cidade, geralmente estão envolvidos em alguma batalha e se sobreviverem retornam ao seu lar, talvez devido a isso, o cuidado com a cidade é deixado de lado. De fato, sequer há motivo para a existência da cidade taurina, porém, todo ser humano precisa de um lugar para chamar de lar.
 
Touro (4º dia 21 do ano a 5º dia 20 do ano):
Cidade: Chipre

 

Contato

Guilherme Macias Bogéa

maciasbogea@gmail.com

Pesquisar no site

 

AMEI o livro, incrível. Tudo na medida certa!!! Parabéns pela escrita!

Realmente me surpreendeu!

Wanessa Guimarães (RJ). Atriz e escritora. Estante Seletiva.

© 2011 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode